Nenhum casal é uma ilha


Tenho a sensação de que muitos casais vivem numa bolha.

Eles se conhecem, se apaixonam, ficam, namoram e se privam do mundo: só saem juntos, não dão espaço para novos amigos e só tomam decisões com o consentimento do outro. Você conhece algum casal assim?

Claro que é uma delícia ter um companheiro que você pode contar pra tudo. É como se fosse uma extensão da sua vida. Você tem uma pessoa que se importa com você, te chama para todos os passeios que ele tem vontade e dormirá de conchinha com você no domingo à tarde. Sem contar a intimidade para falar de sua vida, dividir seus maiores medos e ser o que você realmente é.

Geralmente esses namoros nascem no ponto certo/exato da vida de ambos. Para que eles começassem o namoro foi fundamental o consentimento dos dois para se distanciar dos melhores amigos, das reuniões de família e dos momentos de reflexão que, antes, só faziam sozinhos.

Digo com muita propriedade desse assunto porque já tive um namoro assim e acabou justamente por esse motivo. Foram longos anos em que eu fazia absolutamente tudo somente com essa pessoa. O fim, claro, foi inevitável. 

Foi um namoro quase perfeito.

Nenhum casal saudável aguenta privações de coisas que você fazia antes e que lhe faziam bem. É exatamente como se fosse uma ilha em que você dá adeus para tudo o que te preenche em partes para ficar com uma pessoa que te completa como um todo. Poderia ser perfeito mas na prática não é. Por mais feliz que essa pessoa te faça, há uma hora em que você sente saudade de sair com suas amigas, visitar seus familiares na cidade vizinha e poder ficar em casa num sábado somente porque está com saudade de curtir você.

O fim desses namoros são ainda mais dolorosos: você se acostumou com a pessoa e não aceita o fato de não tê-la mais. O cinema não tem mais graça sem ele, seus finais de semana parecem faltar alguém e sua vida parece não ter mais sentido. Pura ilusão.

O que não tem sentido mesmo é um casal viver exclusivamente para o outro e esquecer das pessoas e oportunidades que existem por aí. Você perde dois amores: o dos outros e o próprio. Sua vida é dedicada para uma pessoa que não aceita que você seja feliz com outras e o sentimento de posse é, na minha opinião, um dos mais idiotas que existem.

A vida é tão curta, as pessoas que passam por ela são únicas e os momentos passageiros. Não vale a pena entrar numa bolha com a pessoa amada e permanecer vendo, à distância, seus amigos saindo, sua família se espalhando por aí e vocês lá, parados. 

Não sou contra esse tipo de romance. Comigo não deu certo mas não descarto a chance de dar certo com outro casal por aí. O segredo de tudo isso é estar ciente do que você está perdendo e se fará falta em um futuro breve. Mesmo assim, ainda prefiro o velho truque da confiança, liberdade e respeito pelo espaço do outro (mesmo que ele seja o amor da sua vida).
Comentários
5 Comentários

5 comentários:

  1. Oi linda, adorei seu blog posts super criativos, estou seguindo retribui o follow e a visitinha ? http://cliquedemoda.blogspot.com.br/ Beijinhos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio! Vou visitar :P
      Beijão!

      Excluir
  2. acho bom quando a loucura é tanta que se vive num mundo a parte...

    ResponderExcluir
  3. Realmente vivo numa bolha

    ResponderExcluir

Seja bem vindo(a) ao meu blog!

♥ Vou ficar imensamente feliz se você deixar um comentário nesse post. Pode ser uma crítica, dica ou palpite sobre esta postagem ou até mesmo sobre o blog. Sinta-se livre para me enviar um comentário e com certeza irei respondê-lo(a).

♥ Você não precisa ter uma conta no Blogger para comentar. Na caixinha de seleção ao lado de "Comentar como" tem várias opções para você selecionar, dentre elas a opção de comentar como anônimo ou inserindo Nome/URL. Agora não tem desculpa, hein?

♥ Não irei responder xingamentos ou palavras ofensivas. Então, desistam inimigas!

Muito obrigada pela sua visita e não se esqueça de voltar sempre! =D